Pergunte ao jovem!

Onde esta escrito isso? Quem disse isso? Para quem foi dito isso? Porque foi dito isso?


Guia do Chefe Escoteiro (4ª edição 1982)






ESCUTEM OS JOVENS
                                                                                                  
Estou procurando na literatura do fundador, algum texto em que ele fale explicitamente “ouvir os jovens” com o sentido de Fazer o que eles querem, essa conotação tem sido dada e usada por alguns com o intuito de formar uma corrente de os jovens decidirem o que querem e o escotista só assiste.

Na realidade no livro Guia do Chefe Escoteiro BP deixa de formas muito clara seu entendimento de escutar os jovens dando até como exemplo uma analogia,

’Não são necessárias grandes despesas nem aparelhagem complicada para arranjar-se novas ideias; os próprios jovens, muitas vezes, cooperam com sugestões. Esta é, pois, uma das maneiras do Chefe organizar atividades atraentes e agradáveis: consiste em “poupar os miolos e usar os... ouvidos”! Quando, em tempo de guerra, um batedor sai à noite e quer obter informações sobre o movimento do inimigo ele o faz, quase exclusivamente, usando o sentido da audição. Igualmente, quando um Chefe Escoteiro ignora as inclinações e o caráter dos jovens poderá, de certo modo, vir a conhecê-los exclusivamente, ouvindo-os. Simplesmente escutando o que dizem, poderá adquirir uma noção aproximadamente exata do caráter de cada jovem e poderá também escolher a maneira de atraí-lo e interessá-lo. Assim, igualmente, nos debates da Corte de Honra e nas conversas ao pé do fogo, no acampamento. Se você prestar atenção a observar particularmente suas atitudes, obterá muito mais informações a seu respeito do que se fosse interrogá-Ios ou pedir-Ihes esclarecimentos.”

In Guia do Chefe Escoteiro

O sentido maior ao nosso entender é o de que escutando e observando se possa conhecer melhor os nossos jovens, assim sendo podemos oferecer atividades que torne agradável sua participação no escotismo.

Como sistema educacional que é, tem seus objetivos devidamente traçados, porém sua metodologia de aplicação deve e tem que ser palatável, agradável aos participantes, os aspectos educacionais competem a nós adultos colocarmos nas atividades. É essa forma de ação que nos diferencia de todos os métodos e correntes já pregadas e que está sendo copiado por algumas tendências novas. Escute os jovens para conhecê-los; não somos um movimento de massa. Cada jovem é um jovem e só o conheceremos escutando e não fazendo apenas conceções pois temos o compromisso de educar para um mundo melhor, como já apregoava nosso fundador, no século passado e não como algo recém inventado.

Luiz Carlos Gabriel.

O "Guia do Chefe Escoteiro" foi escrito em 1919 por B-P
para auxiliar o chefe de Tropa Escoteira

1ª Edição: 1949 com 116 pg
2ª Edição: 1960 com 109 pg
3ª Edição: 1967 com 109 pg
4ª Edição: 1982 com 97 pg  e 8.000 Exemplares
5ª Edição: 2000 com 100 pg
6ª Edição: 2013 com 102 pg

Nenhum comentário:

Postar um comentário