Escotismo e a Maçonaria



Se B-P foi ou não maçom
por Celso C. Neves

A resposta certa não muda em nada, nem a maçonaria, nem o escotismo tal qual foi concebido por BP, existem homens que são mais escoteiros que muitos velhos lobos sem nunca terem feito a nossa promessa, sem nunca terem sentido o cheiro do fogo num acampamento, assim como tem homens que são muito mais maçom que muitos velhos maçons, sem nunca terem entrado num templo maçônico,  por isso é que não importa, sem achismo,  BP conseguiu através de um método simples forjar a personalidade do jovem tornando-o um homem de bem e feliz para a família e conseqüentemente para a sociedade (vide simplesmente escotismo em Simplesmente Escotismo),  já li muita coisa comparando coisas do escotismo com coisas da maçonaria como aperto de mão e etc... entre escotismo e maçonaria tem sim em comum somente o ideal, só que para atingirmos este ideal é necessário muito estudo muito conhecimento que infelizmente não esta ao alcance de todos por não se tratar de estudo e conhecimento acadêmico......... . "Leia B-P, Estude B-P e Aplique B-P".      


Escotismo e a Maçonaria
por Luciano Trindade

Não há evidencias definitivas de que Robert Baden-Powell tenha sido maçom regular. Contudo há aproximações entre Escotismo e a Maçonaria, que vão desde objetivos comuns até certos aspectos ritualísticos (como a cadeia da fraternidade). Talvez, B-P tenha sido inspirado pelas conversas com seu irmão mais novo David ou com seu grande amigo Rudyard Kipling que pertencia a fraternidade maçônica. Independentemente da ligação de B-P com a maçonaria, é certo que ele tinha simpatia por ela, tanto que doou sua Bíblia para a primeira loja maçônica que resolveu adota-lo como patrono: a 488 Loja Baden-Powell, em Victoria, na Austrália. Na pagina de rosto do livro sagrado, utilizado ate hoje pela loja, esta grifado "Com os melhores votos para o sucesso da loja em seu bom trabalho, Baden-Powell de Gilwell 12 de maio de 1931" (tradução nossa)

A maçonaria tem dentre seus objetivos a fraternidade, a filantropia e o auto aprimoramento de seus membros, que devem se obrigar a seguir um código moral para desenvolver suas virtudes e tornarem-se pessoas melhores. Exige-se que seus membros acreditem em Deus ou, buscando um caráter multi religioso, em outra divindade suprema. A atuação da maçonaria é orientada ao patriotismo e ao serviço ao proximo buscando um mundo melhor e mais feliz.
Partindo desta definição é impossível não perceber aproximações entre a Maçonaria e o Escotismo. O Escotismo é considerado pelos maçons como um movimento paramaçônico, ou seja, que possui características semelhantes; tais como objetivos, estrutura, procedimentos e organização, sem ser maçônico.
Na Inglaterra, os Escoteiros contam com total e irrestrito apoio (inclusive financeiro) da Grande Loja Unida da Inglaterra (United Grand Lodge of England - UGLE), a mais antiga e importante "grande loja" maçônica do mundo e considerada a loja-mãe da maçonaria mundial. Tal condição não é estranha uma vez que o príncipe Eduardo, o duque de Kent, é o Grão Mestre da Grande Loja (principal autoridade da maçonaria mundial) e, concomitantemente, presidente dos Escoteiros Ingleses (Scouts UK). Seria muito bom se tivéssemos uma aproximação tão grande assim por aqui.
No Brasil parece-nos que há pouca articulação entre Escotismo e Maçonaria. No estado de São Paulo, houve uma conversa institucional entre a direção escoteira da região de São Paulo e a Grande Loja do Estado de São Paulo (GLESP), que lista o Escotismo como iniciativa paramaçônica (veja em https://www.glesp.org.br/?paramaconicas=escoteiros-do-brasil ). Contudo, em uma visão profana, leia-se leiga, não se percebe uma grande e positiva diferença como fruto dessa aproximação.
Não obstante, é sabido que Lojas Maçônicas colaboram com Grupos Escoteiros no país (algumas até os fundam e mantém), sobretudo quando não corroboram um capítulo da Ordem DeMolay. A Ordem DeMolay, nascida nos EUA e introduzida do Brasil na década de 1980, é uma entidade paramaçônica que busca, principalmente, reunir jovens de 12 a 21 anos de idade para formar melhores cidadãos, através do desenvolvimento de sua personalidade (familiar?).
Assim como há muito desconhecimento quanto ao que os Escoteiros fazem (biscoitos, velhinhas, ...) percebemos que os membros da maçonaria também sofrem com os estereótipos e com lendas urbanas. Por conta de os encontros da maçonaria serem bastante fechados ao público em geral, chegam até dizer que são um culto satânico, algo absolutamente proibido pela maçonaria. As reuniões são fechadas simplesmente porque não se quer dar “spoiler” para quem ainda não participou delas e porque há atividades simbólicas, onde deve-se estudar o simbolismo para entender o que está acontecendo.
O fato é que seria altamente benéfico para ambas as instituições um estreitamento de relações para um maior conhecimento mútuo. Em face da proximidade de objetivos e da similaridade entre o que se espera de seus associados (que sejam pessoas com bons costumes, cumpridoras de seus deveres para com Deus, que adotam valores tais como honestidade, honradez, probidade, zelo pelas famílias, amor à Pátria, com dignidade e decoro social), a maçonaria tem um “celeiro” de bons maçons dentre os chefes escoteiros e o Escotismo tem uma rara fonte de bons chefes escoteiros dentre os maçons.
Que todos nossos leitores recebam nosso tríplice e fraternal abraço escoteiro.
O Escotismo que queremos. Seja exemplo!
Referência principal
KARR, G. W. Freemasonry and the Scout Movement. Ontario: Philalethes, 1994.

Conheça um pouco da Maçonaria e tire suas conclusões, e deixe seu comentário, informações extraídas do site do GOB.

O que é a Maçonaria?– A Maçonaria é uma instituição essencialmente filosófica, filantrópica, educativa e progressista. 
Por que é Filosófica?-É filosófica porque em seus atos e cerimônias ela trata da essência, propriedades e efeitos das causas naturais. Investiga as leis da natureza e relaciona as primeiras bases da moral e da ética pura. 
Por que é Filantrópica?– É filantrópica porque não está constituída para obter lucro pessoal de nenhuma classe, senão, pelo contrário, suas arrecadações e seus recursos se destinam ao bem-estar do gênero humano, sem distinção de nacionalidade, sexo, religião ou raça. Procura conseguir a felicidade dos homens por meio da elevação espiritual e pela tranquilidade da consciência. 
Por que é Progressista?– É progressista porque partindo do princípio da imortalidade e da crença em um princípio criador regular e infinito, não se aferra a dogmas, prevenções ou superstições. E não põe nenhum obstáculo ao esforço dos seres humanos na busca da verdade, nem reconhece outro limite nessa busca senão o da razão com base na ciência. 
Quais são os seus princípios?– A liberdade dos indivíduos e dos grupos humanos, sejam eles instituições, raças, nações; a igualdade de direitos e obrigações dos seres e grupos sem distinguir a religião, a raça ou nacionalidade; a fraternidade de todos os homens, já que somos todos filhos do mesmo CRIADOR e, portanto, humanos e como consequência, a fraternidade entre todas as nações. 
Qual o seu lema?– Ciência - Justiça - Trabalho: Ciência, para esclarecer os espíritos e elevá-los; Justiça, para equilibrar e enaltecer as .relações humanas; e Trabalho por meio do qual os homens se dignificam e se tornam independentes economicamente. Em uma palavra, a Maçonaria trabalha para o melhoramento intelectual, moral e social da humanidade. 
Qual é seu objetivo?– Seu objetivo é a investigação da verdade, o exame da moral e a prática das virtudes. 
O que entende a Maçonaria por Moral? – Moral é para a Maçonaria uma ciência com base  no entendimento humano. É a lei natural e universal que rege todos os seres racionais e livres. É a demonstração científica da consciência. E essa maravilhosa ciência nos ensina nossos deveres e a razão do uso dos nossos direitos. Ao penetrar a moral no mais profundo da nossa alma sentimos o triunfo da verdade e da justiça. 
O que entende a Maçonaria por virtude?– A Maçonaria entende que virtude é a força de fazer o bem em seu mais amplo sentido; é o cumprimento de nossos deveres para com a sociedade e para com a nossa família sem interesse pessoal. Em resumo: a virtude não retrocede nem ante o sacrifício e nem mesmo ante a morte, quando se trata do cumprimento do dever. 
O que entende a Maçonaria por dever?– A Maçonaria entende por dever o respeito e os direitos dos indivíduos e da sociedade. Porém não basta respeitar a propriedade apenas, mas, também, devemos proteger e servir aos nossos semelhantes. A Maçonaria resume o dever do homem assim: “Respeito a Deus, amor ao próximo e dedicação à família”. Em verdade, essa é a maior síntese da fraternidade universal. 
A Maçonaria é religiosa?– Sim, é religiosa, porque reconhece a existência de um único princípio criador, regulador, absoluto, supremo e infinito ao qual se dá, o nome de GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO, porque é uma entidade espiritualista em contra posição ao predomínio do materialismo. Estes fatores que são essenciais e indispensáveis para a interpretação verdadeiramente religiosa e lógica do UNIVERSO, formam a base de sustentação e as grandes diretrizes de toda ideologia e atividade maçônicas. 
A Maçonaria é uma religião?– Não. A Maçonaria não é uma religião. É uma sociedade que tem por objetivo unir os homens entre si. União recíproca, no sentido mais amplo e elevado do termo. E nesse seu esforço de união dos homens, admite em seu seio pessoas de todos os credos religiosos sem nenhuma distinção. 
Para ser Maçom é necessário renunciar à religião a qual se pertence?– Não, porque a Maçonaria abriga em seu seio homens de qualquer religião, desde que acreditem em um só Criador, o GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO, que é Deus. Geralmente existe essa crença entre os católicos, mas ilustres prelados tem pertencido à Ordem Maçônica; entre outros, o Cura Hidalgo, Paladino da Liberdade Mexicana; o Padre Calvo, fundador da Maçonaria na América Central; o Arcebispo da Venezuela, Don Ramon Ignácio Mendez; Padre Diogo Antonio Feijó; Cônegos Luiz Vieira, José da Silva de Oliveira Rolin, da Inconfidência Mineira, Frei Miguelino, Frei Caneca e muitos outros. 
Quais outros homens ilustres que foram Maçons?– Filósofos como Voltaire, Goethe e Lessing; Músicos como Beethoven, Haydn e Mozart; Militares como Frederico o Grande, Napoleão e Garibaldi; Poetas como Byron, Lamartine e Hugo; Escritores como Castellar, Mazzini e Espling. 
Somente na Europa houve Maçons ilustres?– Não. Também na América existiram. Os libertadores da América foram todos maçons. Washington nos Estados Unidos; Miranda, o Padre da Liberdade sul-americana; San Martin e O’Higgins, na Argentina; Bolivar, no Norte da América do Sul; Marti, em Cuba; Benito Juarez, no México e o Imperador Dom Pedro I no Brasil. 
Quais os nomes de destaque no Brasil que foram Maçons?-D. Pedro I, José Bonifácio, Gonçalves Lêdo, Luis Alves de Lima e Silva (Duque de Caxias), Deodoro da Fonseca, Floriano Peixoto, Prudente de Morais, Campos Salles, Rodrigues Alves, Nilo Peçanha, Hermes da Fonseca, Wenceslau Braz, Washington Luiz, Rui Barbosa e muitos outros. 
Então a Maçonaria é tolerante?– A Maçonaria é eminentemente tolerante e exige dos seus membros a mais ampla tolerância. Respeita as. Opiniões políticas e crenças religiosas de todos os homens, reconhecendo que todas as religiões e ideais políticos são igualmente respeitáveis e rechaça toda pretensão de outorgar situações de privilégio a qualquer uma delas em particular. 
O que a Maçonaria combate?– A ignorância, a superstição, o fanatismo. O orgulho, a intemperança, o vício, a discórdia, a dominação e os privilégios. 
A Maçonaria é uma sociedade secreta?– Não, pela simples razão de que sua existência é amplamente conhecida. As autoridades de vários países lhe concedem personalidade jurídica. Seus fins são amplamente difundidos em dicionários, enciclopédias, livros de história etc. O único segredo que existe e não se conhece senão por meio do ingresso na instituição, são os meios para se reconhecer os maçons entre si, em qualquer parte do mundo e o modo de interpretar seus símbolos e os ensinamentos neles contidos. 
Quais as principais obras da Maçonaria no Brasil?– A Independência, a Abolição e a República. Isto para citar somente os três maiores feitos da nossa história, em que os maçons tomaram parte ativa. 
Quais as condições individuais indispensáveis para poder pertencer a Maçonaria?– Crer na existência de um princípio Criador; ser homem livre e de bons costumes; ser consciente de seus deveres para com a Pátria, seus semelhantes e consigo mesmo; ter uma profissão ou oficio lícito e honrado que lhe permita prover suas necessidades pessoais e de sua família e a sustentação das obras da Instituição. 
O que se exige dos Maçons?– Em princípio, tudo aquilo que se exige ao ingresso em qualquer outra instituição: respeito aos seus estatutos, regulamentos e acatamento às resoluções da maioria, tomadas de acordo com os princípios que as regem; amor à Pátria; respeito aos governos legalmente constituídos; acatamento às leis do país em que viva, etc. E em particular: a guarda do sigilo dos rituais maçônicos; conduta correta e digna dentro e fora da Maçonaria; a dedicação de parte do seu tempo para assistir às reuniões maçônicas; a prática da moral, da igualdade e da solidariedade humana e da justiça em toda a sua plenitude. Ademais, se proíbe terminantemente dentro da instituição, as discussões políticas e religiosas, porque prefere uma ampla base de entendimento entre os homens afim de evitar que sejam divididos por pequenas questões da vida civil. 
O que é um Templo Maçônico?– É um lugar onde se reúnem os maçons periodicamente para praticar as cerimônias ritualísticas que lhes são permitidas, em um ambiente fraternal e propício para concentrar sua atenção e esforços para melhorar seu caráter, sua vida espiritual e desenvolver seu sentimento de responsabilidade, fazendo-lhes meditar tranquilamente sobre a missão do homem na vida, recordando-lhes constantemente os valores eternos cujo cultivo lhes possibilitará acercar-se da verdade. 
O que se obtêm sendo Maçom? – A possibilidade de aperfeiçoar-se, de instruir-se, de disciplinar-se, de conviver com pessoas que, por suas palavras, por suas obras, podem constituir-se em exemplos; encontrar afetos fraternais em qualquer lugar em que se esteja dentro ou fora do país. Finalmente, a enorme satisfação de haver contribuído, mesmo em pequena parcela, para a obra moral e grandiosa levada a efeito pelos homens. A Maçonaria não considera possível o progresso senão na base de respeito à personalidade, à justiça social e a mais estreita solidariedade entre os homens. Ostenta o seu lema “Liberdade, Igualdade e Fraternidade” com a abstenção das bandeiras políticas e religiosas. O segredo maçônico, que de má fé e caluniosamente tem se servido os seus inimigos para fazê-la suspeita entre os espíritos cândidos ou em decadência, não é um dogma senão um procedimento, uma garantia, uma defesa necessária e legítima, porém como inevitavelmente tem sucedido com todo direito e seu dever correlativo, o preceito das reservas maçônicas já tem experimentado sua evolução nos tempos e segundo os países. A Maçonaria não tem preconceito de poderes, e nem admite em seu seio, pessoas que não tenham um mínimo de cultura que lhes permitam praticar os seus sentimentos e tenham uma profissão ou renda com que possam atender às necessidades dos seus familiares, fazer face às despesas da sociedade e socorros aos necessitados..






Nenhum comentário:

Postar um comentário